Rev. Jeffferson M. Reinh

No “Ano das Boas Notícias” muitos temas ricos e extremamente edificantes serão levantados. Muitas bênçãos oriundas do aprofundamento no estudo e conhecimento da Palavra de Deus serão lembradas e, cremos, revisitadas, no intuito de buscarmos cada vez mais intimidade e crescimento no relacionamento com nosso Senhor e seu Reino. Hoje quero tratar com você um aspecto lindo de nossa vida cristã: nossa identidade no Senhor Jesus.

A fé cristã não é um aglomerado de informações. Também não é um conjunto de valores morais apenas, embora estas duas questões façam parte de uma caminhada que envolve conhecimento e práticas corretas. A fé cristã, sobretudo, é uma vivência. A fé cristã é de fato a experiência de ser nascido de novo, por obra do Espírito Santo, ser justificado, por declaração do Pai, e viver em um rico processo de santificação diante do exemplo, da intercessão e dos ensinamentos de Jesus Cristo. Entretanto, a vivência da fé é apoiada na obra trinitária de salvação, não é apoiada em nossa força, ou decisão, ou mesmo esforço particular. Isso já demonstra o quanto o cristão genuíno é agraciado, é cuidado e pode desfrutar dessa boa notícia.

Numa rápida comparação, podemos ter: muitos têm vivido um evangelho de correria, de muitos afazeres, de busca constante por bênçãos. Muitos têm se esforçado, na tentativa de resolverem suas demandas, de diversas matizes, e se cansado, se machucado, pois não sabem e não desfrutam de sua real condição em Jesus. Outros têm desfrutado do constante consolo e ânimo que a Palavra do Senhor produz em nossos corações. E o que Ele nos afirma, nos mostra sobre nós mesmos, e nossa condição no Reino?

Vejamos: Jesus nos torna “Filhos de Deus”, ou seja, obtemos ao crer e entregar nossas vidas a Ele, a Identidade de Filhos, com todos os privilégios e deveres oriundos dessa filiação (Jo 1.12), sendo Ele, Jesus, o primogênito entre nós (Cl 1.15). Jesus nos garante autoridade, poder, e sua eterna companhia, em todas as circunstâncias (Mt 28.20; Jo 15.7; Mt 6.33; At 1.6-8). Jesus nos garante ainda nossa condição de realeza, sublimidade, exclusividade e proteção divinas, diferentemente daqueles que não creem no Senhor (1Pe 2.9). Poderia citar muitos outros textos aqui.

Mas a grande questão é se temos nos apropriado dessa condição. É preciso ser praticante do evangelho para vivenciar as condições que temos em Jesus. É condição de crescimento o se envolver com disciplinas espirituais como oração, contemplativa, e agradecida; ainda a leitura da Bíblia como uma experiência de ouvir (ler) calmamente os ensinos e revelações do Senhor; ainda exercer a intercessão pelos que sofrem, amando-os e desfrutando do consolo e ensino estratégico do Senhor; é preciso buscar em Deus um coração quebrantado, que vai se alegrar e encher de prazer todas as vezes que se lembrar que pertence ao Senhor, estando então livre das opressões do mundo atual e do futuro.

Pense nisso, deixe-se ser guiado pelo Espírito. Sua vivência tem sido de alegria no Senhor? Tem sido de ser consolado em meio às dores, ser fortalecido e animado diante das contrariedades? É tempo de se avaliar, e tempo de ouvir e abraçar o evangelho genuíno, que nos mostra que nada pode nos roubar Do amor de DEUS (Rm 8.28-39).

Deus abençoe sua vida, Filha(o) do Rei! Ótima semana!

Recommended Posts